domingo, 30 de setembro de 2012

Frio em frente ao mar.


Domingo de sol
e vento frio.
Aniversário do meu pai
num restaurante em frente ao mar
e ela comigo.

Pedaços de picanha
com belas capas de gordura,
ela bebendo
um pouco de cerveja preta
e se apertando de frio.

Tentativa frustrada
de cinema
e um óculos de sol
comprado por ela.

Já em casa,
tentamos ver tv,
ela dormindo
e eu sentindo seu cheiro.

E pode até paracer piegas,
mas me apaixonei
por ela
novamente.

Fomos dormir
abraçados,
tudo estava bem.

(SRed)

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Tarde na Praça da Inglaterra


Acordei com o ânimo
abaixo dos pés
e o dia no trabalho
não ajudou.

E nessas horas
eu só penso nela,
que consegue
me deixar melhor
com muita
facilidade.

É a única
voz que quero ouvir,
o único
sorriso que quero escutar
e o único abraço
que quero receber.

Nos encontramos
depois do trabalho,
conversamos
com boas risadas
sobre diversos assuntos
e até de nós mesmos.

Mais uma vez
me apaixonei por ela,
tudo sem qualquer esforço,
sem qualquer controle,
como se fosse pela primeira vez.

Mas eu sei que vou
continuar me apaixonando
por muito tempo.

Por anos
e anos.

(SRed)

domingo, 16 de setembro de 2012

"Vou chorar hein?"


Estávamos no sofá
e no rádio informava
alguma coisa sobre a banda
Harmonia do Samba.

Ela disse que estava
com vontade de ouvir uma música
antiga da banda
e começou a cantar.

Lembrei que tinha a música no celular,
peguei o controle,
dei um mute no rádio
e coloquei a bendita música pra tocar.

Pra minha surpresa,
ela sabia todos os mínimos detalhes
da canção na versão ao vivo.
Fez coreográfias,
caras e bocas
enquanto cantava.
Foi muito engraçado.

Depois que acabou,
ela voltou
a ler o livro
que estava em suas mãos.
O apanhador no campo de centeio.

Que ela nunca perca esse humor
e que eu nunca a perca também.


(SRed)

Começando bem.


Fomos dormir
um pouco depois das 22hs
e só acordamos depois das 10hs;

A noite toda
dormimos de mãos dadas
e bem abraçados,
sem qualquer vontade de levantar.

Quando isso aconteceu
ela disse, surpresa:

 - Amor, são 10hs.
 - O tempo passa rápido quando estamos juntos.

Ela me abraçou forte
e assim começou
mais um dos nossos bons domingos.


(SRed)

R$47,00


A algumas semana atrás
ela tinha me falado
de uma festa
na casa de uma colega de trabalho.

Fez tanta propaganda
que tornou o evento
maior do que realmente era.

Ela levou cerveja
e morango
e eu como convidado
não precisava levar nada.
E partimos para a festa.

Tivemos que pegar
dois ônibus
para chegar
e ainda tivemos que andar um pouco
pra chegar.
A festa era
no fim de linha novo da boa vista de são caetano.
TENSO.

A dona da festa
era muito bacana,
mas não ficamos a vontade
com os outros, poucos, convidados
e não ficamos nem 90 minutos
no local e fomos embora.

47 reais em transporte
e bebida pra nada.
Isso é o que chamamos de programa de índio,
apesar que os índios
tem programas melhores que esse.


(SRed)

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Fim de semana na Ribeira - Parte II


Acordei cedo,
mas ela quis ficar na cama
até mais tarde
e assim,
levantamos depois das 10hs.

Tomamos café
e ouvimos boas histórias
e bons conselhos
da sua avó.

Me senti bem por lá.
As vezes meio sem jeito,
mas mesmo assim,
sentia uma tranquilidade
de quem foi bem recebido.

O dia passou rápido,
meu time deu 4x0 no vasco
e foi assim que numa casa de
democratas religiosos,
um ateu petista,
curtiu um bom descanso.

Dormimos de mãos dadas,
sabíamos que estava tudo bem.


(SRed)

Fim de semana na Ribeira - Parte I


Depois de trabalhar,
queríamos sair pra comer alguma coisa
e foi assim
que o nosso bom fim de semana
começou.

Passamos na casa da avó dela
antes de comer
e fomos convidados a dormir lá.

Foram boas risadas
e a noite com ela,
mais uma vez,
foi muito boa.

Tudo isso regado
a carne do sol com purê de aimpim,
cerveja preta
e sorvete da ribeira.

Encontramos amor,
muitas vezes quando não esperamos
e isso o torna tão complexo
e ainda mais gostoso de se viver.


(SRed)

sábado, 8 de setembro de 2012

Convencido, eu sei.


 - Sou louco por você, sua chata. - Eu disse
 - Eu amo você, seu chato.
 - Eu sei que você me ama.
 - Convencido.
 - Pra me aguentar, só me amando.
 - Ainda bem que você sabe.

Fomos dormir sorrindo.
Ela com a cabeça no meu peito,
como manda a nossa tradição.


(SRed)

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

7 de setembro


Dia da independência
e lá estava eu,
na casa do pai dela,
que mesmo depois de dois anos
nem sabe meu nome.

Logo na chegada,
o irmão dela
já foi dizendo
que não era pra eu entrar.
Ele deve ter uns 6 anos.
Uma criança adoravel,
que justifica bem
o motivo pelo qual
não gosto de crianças.

Subi as escadas
e fiquei por um tempo olhando
um passarinho
e contando as horas pra ir embora.

Depois de um tempo,
ficamos na casa de uma tia dela.
Lá as pessoas sabiam meu nome
e falavam comigo.

Ficamos na sala,
ela dando atenção as pessoas
e olhando revistas de maquiagem,
e eu na sala
"assistindo" um dvd de José Augusto.

Agora aguanta coração...
Feliz dia 7 de setembro.

Obs: Na hora de ir embora
a mãe do menino (que não é a minha sogra),
fez ele pedir desculpas.
Fiquei mais sem graça
do que ele,
mas achei a atitude exemplar.


(SRed)

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Tudo.


 - Estou escrevendo pra você. - Eu disse
 - Sobre o quê? - Ela perguntou
 - Sobre você, chata.
 - E o quê mais?
 - Mais nada, você já é tudo.

Ela sorriu, tímida
e me beijou.
Mas não por muito tempo,
pois a gripe dela
não deixou.


(SRed)

Mesmo depois de 2 anos.


 - Sabia que eu te amo? - Eu perguntei
 - Não - Ela respondeu
 - E quando vai saber?
 - Não sei.
 - Espero que nunca.
 - Porque?
 - Porque sempre que eu disser, vai ser surpresa.

Nós dois sorrimos
e continuamos
andando.


(SRed)

Um almoço ambiente.


Com uma quentinha
de churrasco,
cheio de carnes frias
e uma pepsi em temperatura ambiente...
A gente se divertiu.

Ela fazendo chacota
dos repórteres investigativos:

 - VOCÊ É USUÁRIO?
 - Não, senhor.
 - DESDE QUANDO?
 - Desde sempre, senhor.

Muitas risadas
e mesmo pegando um engarrafamento
saindo da casa dela.

Lembro agora,
e volto a sorrir.


(SRed)

domingo, 2 de setembro de 2012

Só ela.


Vou dormir agora
depois de ouvir a sua voz
e o seu sorriso,
sabendo que as coisas
estão no caminho certo
e que só depende da gente,
a maioria das coisas
que estão ao nosso redor.

Estamos nos esforçando
e tentando acertar,
e só o fato de tentar
já me deixa mais esperançoco
com os dias que estão por vir.

 - Dorme bem amor... ah, e não esquece aquela coisa... - Eu disse.
 - Que coisa, chato?
 - Que eu te amo.
 - Eu também te amo, chatinho.


(SRed)

Cara-de-pau e bom humor!


Ela consegue melhorar
pequenos momentos,
com doses de humor
e boas doses de cara-de-pau,
ela me tira do sério.

A tímidez
ainda está nela,
é parte de sua personalidade,
mas as vezes não parece
aquele menina que conheci
ou talvez ela sempre tenha sido assim
e só precisava
de um pouco de tempo
ou de um "empurrãozinho"
para se soltar.

Hoje, no meio do mercado,
ela cantou uma música
de Paula Fernandes
com os braços para o alto,
com caras e bocas
e de olhos fechados.

Sempre que lembrar,
vai me tirar sorrisos.


(SRed)

Compras do Mês.

Hoje acordamos cedo
pra ir ao mercado.
Foi a primeira vez
que fizemos compras
de verdade.

E se não fosse por ela,
eu não teria comprado
comida de verdade.

Voltamos do mercado cansados
e fiz aquele velho macarrão.
Não ficou bom como outras vezes,
mas mesmo assim
comemos e dormimos
a tarde toda.

Quando acordamos,
nos curtimos e depois
ela foi pra casa.

Uma dia pra se lembrar.


(SRed)